2016: O ano de embates, ajustes, testes e decisões no mercado brasileiro de feiras.

Um ano singular para o setor de feiras de negócios no Brasil. Em 2016 ocorrerá o encontro das maiores feiras do País, que juntas atrairão cerca de 1,5 milhão de visitantes – Salão do Automóvel (automotivo), Brasil Game Show (videogames), Hospitalar (saúde), Agrishow (tecnologia agrícola), Mecânica e Feimec (ambas do setor industrial). E todas elas estarão sendo testadas por algum motivo.

Logo no primeiro semestre, teremos o embate mais esperado pelo setor industrial:  Feimec (3 a 7 de maio) e a Mecânica (17 a 21 de maio), as duas maiores e principais feiras do ramo no País. No pano de fundo destes eventos estará a disputa de duas das principais companhias globais do mercado: a Reed Exhibitions e a BTS Informa. Talvez nesse primeiro confronto ainda não terão mortos, mas, com certeza, sairão feridos e desnorteados. Os profissionais de marketing terão um árduo trabalho pela frente durante a promoção visitantes, pois a grande maioria dos expositores dessas feiras ressalta que o mercado não comporta dois eventos desse porte numa mesma praça e, praticamente, mesma data. De acordo com eles, a visitação qualificada será o diferencial e terá peso fundamental para definir o futuro mercadológico de cada um.

Este embate servirá para testar um dos principais trunfos da Feimec, o novo local – o São Paulo Expo (antigo Imigrantes), no principal reduto de feiras do Brasil: a cidade de São Paulo. Um investimento da GL Events no país, que transformará o novo espaço no maior centro de exposições da América do Sul, com investimentos da ordem de R$ 400 milhões. A Feimec funcionará como laboratório para futuros e breves ajustes de infraestrutura e logística, já que o novo espaço receberá ainda este ano as duas maiores feiras brasileiras de público final:  a Brasil Game Show, 2 a 5 de setembro, e o Salão do Automóvel, de 10 a 20 de novembro.

Na outra ponta, estará o tradicional e velho Parque de Exposições Anhembi (que devido à concorrência abriu licitação para reformas) recebendo a feira da Mecânica, a maior em número de expositores do Brasil com mais de 2 mil marcas nacionais e internacionais do ramo industrial.   Os dois centros de exposições poderão contribuir, de forma positiva ou negativa, no desempenho desses dois eventos. Um tropeço na parte de infraestrutura e ou logística num desses espaços poderá comprometer as próximas edições de ambos os eventos que travam uma disputa acirrada pelo segmento. O mercado, lógico, acompanhará de perto o passo a passo de toda esta movimentação.

Ainda no primeiro semestre, de 25 a 29 de abril, acontece em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, a Agrishow, uma das três maiores feiras de tecnologia agrícola do mundo. Na edição de 2015, a feira recebeu 160 mil visitantes e registrou queda de faturamento devido à crise econômica do País. Mas, nos últimos anos, a feira também vem enfrentando a concorrência e o crescimento de eventos regionais do segmento. Vale ressaltar que a foi a Agrishow que desencadeou a disputa acirrada entre a Reed Exhibitions e a BTS Informa no Brasil (a Agrishow, realizada pela entidade Abimaq, trocou de organizadora em 2013, saiu a Reed Exhibitions e entrou a BTS Informa). Antes disso, as companhias inglesas em solo nacional eram como duas comadres que dividiam o chá e o biscoito das cinco. Agora, os tempos são outros.

Assim como a Agrishow mudou de promotora, a feira+fórum Hospitalar 2016, de 17 a 20 de maio no Expo Center Norte em São Paulo (SP), acontecerá sob uma nova gestão – sai o grupo nacional São Paulo Feiras (Couromoda) e entra a multinacional e também britânica UBM que comprou o evento em 2015. Nas mãos de sua antiga promotora, o produto Hospitalar despontou como a principal feira internacional do segmento de saúde na América Latina. A expectativa de todos é com relação à continuidade e aprimoramento desse trabalho, agora nas mãos de uma empresa internacional com maior poder de investimentos. Expositores e visitantes esperam ansiosos os benefícios dessa mudança.

Mas o momento mais esperado do ano no Brasil nesse setor de feiras de negócios é com relação aos dois principais eventos de público final do país – a Brasil Game Show e o Salão Internacional do Automóvel. A primeira, de acordo com seu organizador, Marcelo, atraiu mais de 250 mil visitantes na edição 2015. Já o Salão do Automóvel, da Reed Exhibitions Alcantara Machado, recebeu, segundo dados da empresa, mais de 750 mil visitantes em 2014. As próximas edições dos dois eventos acontecerão no novo centro de exposições São Paulo Expo, em São Paulo (SP). Com este moderno espaço, o setor brasileiro de feiras inicia-se um novo ciclo de desenvolvimento já que a falta de pavilhões no País com infraestrutura adequada para receber grandes feiras prejudicou o crescimento do setor nos últimos anos e desestimulou a participação de empresas nos eventos.

A grande expectativa dos públicos – expositor e visitante – com relação à nova casa, o São Paulo Expo, diz respeito aos custos de toda esta modernização e como eles incidirão em seus bolsos, já que o Brasil atravessa um momento econômico delicado. A crise atual travou o crescimento de um dos segmentos mais promissores do país, o automotivo. Em função disso, há também uma certa apreensão sobre a edição 2016 do Salão do Automóvel, considerado o maior e mais importante evento do País no ramo de feiras de negócios, e quais os reflexos desta baixa econômica sobre o evento.

O ano 2016, portanto, chega para o setor brasileiro de feiras de negócios gerando muita ansiedade, expectativa e nervosismo, mas diante de novas e promissoras perspectivas de crescimento. Boa sorte a todos.