ESPECIAL MERCADO

O SOBE e DESCE no mercado brasileiro de feiras e eventos em 2015.

2015

O que subiu e desceu no ano que passou no setor  de feiras e eventos.

2015 foi um ano complicado para o setor de feiras e eventos de negócios. O mercado, que já vinha sofrendo com uma certa apreensão de investimentos em feiras pelas empresas (influenciados pelos altos custos, falta de infraestrutura de pavilhões e marketing inadequado), deparou com o agravamento da crise econômica do País, principalmente em setores considerados lucrativos: como o automotivo, construção e indústria. Mesmo com esses entraves, o ano foi movimentado. Diante disso, apresentamos o que ficou em alta e em baixa no setor brasileiro. Confira:

SEGMENTO DE MERCADO
subiu30Games

desceu30Automotivo

Enquanto as feiras de games transformaram-se nas grandes atrações de 2015, com filas de visitantes e muito espaço na mídia, o automotivo sofreu um baque com a crise do País. Com isso, grandes feiras como a Fenatran por pouco não aconteceram. A expectativa maior agora é com relação ao Salão do Automóvel em 2016, que, assim como a Brasil Game Show, se transferiu para o novo pavilhão São Paulo Expo (antigo Imigrantes).

PROMOTORA
subiu30 UBM

desceu30 Clarion

Em meio à guerra de gigantes (Reed Exhibitios Alcantara Machado e BTS Informa) pela liderança do mercado, a UBM roubou a cena e adquiriu a Feira+Fórum Hospitalar. Um sólido produto, com forte imagem de marca e que deu um novo impulso aos negócios da companhia no Brasil. Por outro lado, a Clarion Events entrou e saiu 2015 como uma incógnita – mais um ano que isso acontece – sem deixar claro seus planos e investimentos para o Brasil.

PROFISSIONAL
subiu30 Maria Antônia S. Ferreira

desceu30 Marco Antônio Mastrandonakis

Após comercializar as feiras ExpoCarne e ExpoAgro para a BTS Informa, Maria Antônia S. Ferreira ficou no freezer por algum tempo. Saiu em 2015, criou a Enterprise Feiras & Eventos e retornou com força total ao ramo com o lançamento da MercoAgro e ExpoMeat, voltadas à indústria frigorífica. Já Marco Antônio Mastrandonakis, profissional experiente com mais de 25 anos dedicados ao setor, ficou pouco mais de um ano no cargo de diretor geral da Cipa Fiera Milano no País.

FEIRA
subiu30HOSPITALAR

desceu30ADVENTURE SPORTS FAIR

Após várias tentativas de compra de promotoras internacionais, Francisco Santos e Waleska Santos, presidentes do Grupo São Paulo Feiras (Couromoda), conseguiram valorizar ainda mais a Feira+Fórum Hospitalar e a comercializou no momento certo para a britânica UBM. Já a Adventure Sports Fair, da área de turismo de aventura, sofreu com crise e foi cancelada. Isso num momento em que a demanda por esse tipo de serviço cresce entre 15% e 25% a cada ano, de acordo com dados da Organização Mundial do Turismo (OMT). A Promotrade, sua organizadora, promete uma versão reestruturada para 2016.

ENTIDADE
subiu30 Abimaq

desceu30 Abiplast

O Projeto Feiras Industriais, iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos – movimentou o setor de feiras em 2015. Com ele, três novos produtos foram lançados (Feimec, Expomafe e Plástico Brasil) e em um novo pavilhão: São Paulo Expo. Já a ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plástico – tem demonstrado pouco fôlego após os problemas com a marca Brasilplast, fusões e compras de empresas no setor, e lançamento de novas feiras no ramo do plástico, coordenadas por outras entidades.

EXPOSITORES
subiu30 chineses

desceu30 latino-americanos

Parece que a ordem de 2015 na maioria das feiras brasileiras foi: há espaço vazio, chama os chineses. E, como sempre, eles vieram com muita garra e fome (a maioria come no próprio estande atendendo aos clientes). As feiras brasileiras sofreram uma invasão de chineses. Já os nossos vizinhos latino-americanos praticamente desapareceram dos eventos nacionais.

CENTRO DE EXPOSIÇÕES
subiu30São Paulo Expo

desceu30 Anhembi

O lançamento do novo pavilhão São Paulo Expo (antigo Imigrantes), administrado pela francesa GL Events, injetou novo ânimo (e investimentos da ordem de R$ 300 milhões) no mercado brasileiro de feiras. As grandes feiras do País aderiram ao projeto e deixaram o tradicional, mas velho Anhembi. Isso fez com que os outros centros de exposições, principalmente em São Paulo, se movimentassem para não perder clientes. Inclusive o Anhembi, que correu e abriu licitação para reformas.

REGIÃO
subiu30Região Sul

desceu30Região Nordeste

Em silêncio, o mercado do Sul virou a bola da vez no setor de feiras e eventos regionais. Com o apoio de sindicatos e entidades locais, suas feiras crescem em número de expositores e visitantes. Algumas, inclusive, já começam a incomodar eventos tradicionais da principal praça São Paulo. Já a região Nordeste, anunciada como uma grande vedete econômica, embora tenha investido em novos centros, como o de Fortaleza e Natal, vem demonstrando dificuldade para atrair grandes eventos. Promotoras como a Reed Exibitions, São Paulo Feiras (Couromoda) e Francal, suspenderam investimentos na região.

FEIRA REGIONAL
subiu30Zero Grau

desceu30 Ficcan

Em sua quinta edição, a feira Zero Grau caiu no gosto dos expositores e visitantes do setor de calçados e acessórios. Realizada em Gramado, contou com 300 expositores e mais de 900 marcas e mostrou que está na data e local (próximo dos principais fabricantes) que o mercado precisa. Já a Ficcan – Feira Internacional de Calçados e Artefatos Norte e Nordeste ficou literalmente pelo caminho e foi cancelada. O projeto, que já tinha sido adiado de 2014 para 2015, era um evento conjunto da Couromoda e Francal e aconteceria no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza.

AÇÃO DE MARKETING / PROMOÇÃO EXPOSITOR
subiu30Assessoria de Imprensa

desceu30 Viagens Promocionais

Infelizmente no Brasil poucas são as empresas que sabem fazer uso da ferramenta assessoria de imprensa no composto de marketing para alavancar negócios. O mercado de feiras está acordando para isso. E muito se deve aos esforços de profissionais que há anos batalham neste setor como Luiz Carlos Franco, da Primeira Página, e Myrian Vallone, da 2 Pró Comunicação. Na contramão, devido aos cortes de verbas do marketing, as viagens para promoção das feiras tornaram-se cada vez mais escassas nos planos de divulgação dos eventos.

AÇÃO DE MARKETING / PROMOÇÃO VISITANTES
subiu30Credencial

desceu30 Convite Impresso

A Reed Exhibitions Alcantara Machado mostrou porque é, ainda, a número 1 do mercado. Lançou um modelo de credencial que o visitante imprime, por completo, em questões de segundo e somente precisa pegar na entrada da feira o suporte para inseri-la. Nota 10 em agilidade e comodidade para o público. Já os convites impressos das feiras, antes encartados em revistas e distribuídos para os expositores enviarem aos seus clientes, encalharam-se, transformando em custos para as empresas e publicações.

MÍDIA
subiu30 Mídias Sociais

desceu30 Revistas Impressas

No segmento feiras de negócios as mídias sociais desempenham papel cada vez mais importante no composto de marketing. Porém, faltam habilidades profissionais à maioria das empresas em trabalhá-las nas etapas promoção expositor e promoção visitantes. Em 2015, elas conquistaram espaços de destaques no composto promocional das feiras. Já as revistas impressas mostraram dificuldades em adaptar à esta nova realidade do marketing digital. Algumas delas nem mídias sociais possuem e, quando têm, ficam praticamente paradas.